quarta-feira, 13 de julho de 2005

Vou ali e já venho


Vou balançar para a praia. Até um dia destes.

quinta-feira, 7 de julho de 2005

Londres ameaçada

Londres teve hoje um amanhecer violento, com várias explosões a lançar o pânico na cidade, a partir das 8h50 (hora avançada pela BBC). Fontes árabes não têm grandes dúvidas em atribuir à Al-Qaeda as responsabilidades pelos acontecimentos.
A generalidade das estações de televisão fala de seis explosões na capital britânica, mas a CNN descreve e localiza sete - seis no metro (Edgware Road, King's Cross, Liverpool Street, Russel Square, Aldgate East e Moorgate) e uma sétima num autocarro de dois andares em Tavistock Place, perto de Russel Square. No entanto, informações mais recentes apontam para que tenham sido três os autocarros atingidos pelas explosões.


As imagens mostram bem o grau de destruição do autocarro.
A princípio, pensava-se que a explosão de Aldgate, a primeira desta manhã, pudesse ter sido causada por um curto-circuito no sistema do metropolitano, mas à medida que outros rebentamentos se verificavam, a hipótese foi praticamente descartada. O metropolitano londrino encontra-se, neste momento, completamente parado, à semelhança do que acontece com os autocarros, pelo que não é difícil imaginar que em Londres se viva um dia de tremenda confusão e insegurança.


Duas horas medeiam primeira e segunda imagens, mostrando como a entrada da estação de Aldgate rapidamente ficou desimpedida.
Ainda não existem dados oficiais sobre as vítimas destas explosões - que se supõem de origem terrorista -, mas os números que vbão circulando apontam para dois mortos e 90 feridos em Aldgate e várias vítimas mortais na explosão do autocarro em Russel Square, falando-se de cerca de três dezenas de pessoas mortas.

PS - Não deixa de ser curioso observar a cobertura que as televisões vão fazendo deste caso. A BBC desdobra-se em contactos, ora com o comissário da polícia londrina, ora com vítimas, ora com responsáveis pelos transportes públicos, alternando as suas declarações com as intervenções dos seus jornalistas. Por cá, RTP, SIC e TVI sobrevivem à custa das imagens alheias, como é óbvio, mas todas parecem ficar uns furos aquém do que seria aceitável. Nos momentos em que tive oportunidade de ver, a TVI demorava-se na descrição dos feridos que iam passando, enquanto mostrava imagens de um homem que recebia massagem cardíaca; a SIC falava, por várias vezes, no nome da Al-Qaeda, passando a mensagem de que os fundamentalistas islâmicos tinham atacado de novo; a RTP adiantava que se tratava de terrorismo sem tecer mais considerações e pautava-se como o mais sóbrio dos três canais, caindo, contundo, num certo 'cinzentismo' e falta de ritmo que faziam mudar de canal em pouco tempo.

quarta-feira, 6 de julho de 2005

Steal my heart... and hold my tongue
I feel my time... my time has come
Let me in... unlock the door
I never felt this way before

And the wheels just keep on turning
The drummer begins to drum
I don't know which way I'm going
I don't know which way I've come

Hold my head... inside your hands
I need someone... who understands
I need someone... someone who hears
For you I've waited all these years

For you I'd wait... 'Til Kingdom Come
Until my day... my day is done
and say you'll come... and set me free
just say you'll wait... you'll wait for me

In your tears... and in your blood
In your fire... and in your flood
I hear you laugh... I heard you sing
I wouldn't change a single thing

And the wheels just keep on turning
The drummers begin to drum
I don't know which way I'm going
I don't know what I've become

For you I'd wait... 'Til kingdom come
Until my days... my days are done
Say you'll come... and set me free
Just say you'll wait... you'll wait for me

Just say you'll wait... you'll wait for me
Just say you'll wait... you'll wait for me