sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

Feliz Ano Novo



O prometido é devido. Como já não volto ao blog este ano, desejo-vos a todos um 2006 cheio daquelas coisas todas que todos devemos ter... dinheiro, carros, casas de férias, jactos particulares e gajas. Ah... sim... e saúde para rodar isso tudo, claro!:P ;)
FELIZ 2006, pessoal!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Season's Greetings

Vitral no Münster, Basileia



Antes que seja tarde, e porque também já não é muito cedo, o :SW?: deseja a todos - leitores assíduos, esporádicos ou nem por isso - um Feliz Natal, com uma ceia bem composta, sobremesas à altura e muitas etiquetas com o vosso nome naqueles embrulhos coloridos debaixo da árvore. :)
O "Bom Ano Novo" fica para depois.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005

Será?

Your Eyes Should Be Blue

Your eyes reflect: Innocence and sweetness

What's hidden behind your eyes: A calculating mind

sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

Alemanha acolhe duelo em português


O sorteio da fase de grupos do Mundial de 2006 ditou que Portugal e Angola irão defrontar-se na ronda inaugural do grupo D, do qual constam também as selecções do México e Irão. Para além de ajudar o país africano na organização da participação da prova, Portugal irá ser igualmente o padrinho dos angolanos num Campeonato do Mundo, num duelo que pareceu ter sido feito por encomenda.
Quanto aos restantes adversários da primeira fase, Portugal terá de medir forças com a eficácia mexicana, que ostenta a marca de 67 golos marcados em 18 jogos de apuramento, e com um Irão em crescimento, orientado pelo croata Branko Ivankovic.
Aqui fica, então, o quadro completo dos grupos para o Mundial:

Grupos

O primeiro jogo de Portugal, o tal frente a Angola, será a 11 de Junho do próximo ano, em Colónia.
Finalmente, e no que a favoritos diz respeito, aqui fica o meu palpite para os apurados de cada grupo:
A - Alemanha e Polónia/Equador
B - Inglaterra e Paraguai/Suécia
C - Argentina e Holanda
D - PORTUGAL e México
E - Itália e República Checa
F - Brasil e Japão
G - França e Coreia do Sul
H - Espanha e Tunísia

Aceitam-se apostas.

Longa se torna a espera



Braga é a quinta cidade europeia onde os transportes públicos mais se fazem esperar. A conclusão é de um estudo sobre as condições de vida em várias cidades da União Europeia, divulgado hoje pela SIC, o qual aponta Estocolmo como a localidade com os transportes públicos mais eficientes (a espera ronda... um minuto). No extremo oposto ficou Budapeste, com uma média de uns longos 71 minutos.

Com o intervalo entre autocarros a rondar a meia-hora, e tendo em consideração que uma travessia completa da cidade - sem trânsito - leva cerca de 20 minutos, não estará na altura de revitalizar os transportes públicos de Braga? Afinal, cidade e população não tendem a diminuir e as condições dentro dos autocarros, quer pela idade de alguns dos veículos, quer pela quantidade de passageiros transportados em determinados momentos do dia, fazem com que, cada vez mais, o carro seja a solução escolhida para viajar dentro da cidade. Não devia ser ao contrário?

Não sei se já disse isto, mas...

domingo, 4 de dezembro de 2005

Habemus photus


Se alguém quiser praticar um bocado de voyeurismo em relação ao que foi a minha vida durante a semana passada, este é o link certo: está tudo aqui.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

I'm Back!

É só para dizer que estou de volta. A Portugal e à net. Mais rápido que nunca.

segunda-feira, 28 de novembro de 2005

Hallo!


Cá estou, pessoal... tá quentinho! Isto é bonito mas, verdade seja dita, nao há nada como o nosso Portugali! Está a ser divertido, mas cansativo. Já andei mais de comboio do que em toda a minha vida (... :p ), mas também já deu para dar um saltinho à Suica por 5 euros!;)
Pena que hoje seja o último dia... enfim, o que é bom acaba depressa, certo? Até um dia destes! :)

sábado, 19 de novembro de 2005

Uns morrem, outros ficam

Eu fiquei. O meu modem não. Por isso, até um dia destes. :p

PS - Eu mandarr umas postas de pescada desde Deutschland... ja?

terça-feira, 15 de novembro de 2005

Jogar à defesa

Para quem não sabe, é hoje.

Se já sabiam, então também sabem do que estou a falar. Se não sabiam, vão ficar na mesma... mas, pelo menos, ficam com a certeza de que é hoje. Voltem sempre!

sábado, 12 de novembro de 2005

terça-feira, 8 de novembro de 2005

Template novo

Pois. Para quem diz que não se passa nada por aqui. A pessoa em causa sabe quem é...

sexta-feira, 28 de outubro de 2005

A não perder!!

Próximos posts em exibição:

- "A noite da última quarta-feira"

e

- "Lá vamos nós deitar dinheiro pela janela fora" ou "O TGV em Portugal".


Ganhem bilhetes para as ante-estreias nas caixas de Nestum.

domingo, 16 de outubro de 2005

Auxiliar de memória



(estádio do dragão, ontem)

segunda-feira, 10 de outubro de 2005

Não entendo isto

Tenho vergonha de viver num país onde políticos (?) que estão envolvidos no apito dourado, fogem para o Brasil por sacos azuis e corrupções afins ou têm habilidosos esquemas de contas na Suíça, chegam ao fim do dia a cantar vitória, sustentados por maiorias escandalosas e por uma população cega, surda e estúpida que lhes dá tudo para que os vícios se perpetuem. Se ser português é isto, eu passo.

sábado, 8 de outubro de 2005

Onde vai um português, ...

vai logo uma comitiva deles. Foi só anunciar a minha viagem que houve logo quem não quisesse ficar atrás... não podem ver nada, pá!



terça-feira, 4 de outubro de 2005

E, em Novembro...

Começando aqui...




... passo a noite perto daqui...




... e sigo, na manhã seguinte, para aqui...




... onde apanho comboio para aqui.




Possíveis locais a visitar são este...




... este...




... e este...




... de onde acabarei por partir para aqui...




... e, finalmente, voltar aqui.




Giro, não é? :)

domingo, 2 de outubro de 2005

"Virgem aos 40 Anos"



Se alguém ainda não ouviu falar deste filme, o meu conselho é que aproveite uma tarde livre, pegue num balde de pipocas e respectivo refrigerante e descubra uma das melhores comédias que nos chegaram do outro lado do Atlântico nos últimos anos. Steve Carrell interpreta um quarentão que, de certa forma, estagnou na pré-adolescência. Vive rodeado de figuras de super-heróis e personagens de cinema, vai de bicicleta para o emprego (com o cuidado de pôr a meia direita por fora das calças para não as sujar com óleo da corrente), a sua vida social resume-se à consola de jogos e, claro!, vida sexual é mentira.
Numa noite de poker, os seus colegas de trabalho descobrem este último pormenor e passam a querer fazer de tudo para mudar a situação, o que, como é óbvio, vai resultar em sarilhos a rodos para todos eles. Muita atenção à cena de depilação peitoral, onde o inexperiente Andy Stitzer dá largas à sua mais requintada retórica.
Filme recomendado e hilariante, que os apreciadores do género não podem perder.

quinta-feira, 22 de setembro de 2005

2+2=4

- Mês e meio sem ver tostão
- €15 por dia em gasolina e portagens
- Percorrer 108 quilómetros para fazer 10 telefonemas
- Motivação = 0
- Ausência de desafios
- Realização pessoal = motivação

Somando tudo, segunda-feira passo ao desemprego (e ainda tenho lucro, mesmo sem subsídio).

quarta-feira, 7 de setembro de 2005

Que é isto?

Quem foi que acendeu a luz?!?

segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Reflexões de uma tarde chata como o raio...


O Porto é uma cidade tão avançada que, em Agosto, já é Outono.

terça-feira, 16 de agosto de 2005

Há muito, muito tempo...



... ou então há apenas dois anos, o :SW?: estreava-se pelas andanças da blogosfera, despretensiosamente, de forma até algo negligenciada pelo criador. Dois anos e muitas linhas depois, recordo como tudo começou, garantindo nunca ter imaginado que esta brincadeira chegasse tão longe e tivesse tantas consequências. A todos os que por cá vão passando, renovo o convite feito há dois anos: "voltem sempre"... e obrigado pela paciência. :)

"Ora bem-vindos ao Say What? - seiout, em português -, ou "diz o quê?". E diz o quê, perguntam vocês... e perguntam bem, porque eu ainda não sei. Vai dizer o que eu quiser, tudo o que me apetecer sobre o que me apetecer. O que não me apetecer, não tem lugar. 'Tamos entendidos? Apareçam, opinem e voltem sempre."

terça-feira, 9 de agosto de 2005

Ele há gajos cuma lata...

Frase do dia:

"Se calhar, nos primeiros tempos, até te vai sair do bolso para vires trabalhar"

LOL!

Ah, claro!... isso e eu já comprei lugar anual no Dragão. Palhaço!

segunda-feira, 8 de agosto de 2005

"Há sempre uma primeira vez..."

Hoje é dia de primeira vez. Negociação salarial algures entre agora e as 19h30.

segunda-feira, 1 de agosto de 2005

Fim do balanço


O balanço foi positivo. Exageradamente curto, mas proporcionalmente positivo, apesar da chuva que quase arruinava o dia de Vilar de Mouros (ah pois, que eu fui lá... as promessas são para cumprir!). Tirando isso, praia, muitos jornais, doses avultadas (mas, ainda assim, insuficientes) de Carcassonne e Xbox e, claro, a há muito esperada conclusão da licenciatura - pronto, é certo que ainda falta o relatório de estágio, mas é como se já estivesse tudo feito!
Espera-me, agora, uma semana em que recebo a visita da minha irmã e dos meus sobrinhos - toca a mostrar a cidade aos alfacinhas - e, ao mesmo tempo, tenho de gerir três possibilidades de emprego (uma muito concreta, duas apenas em fase de candidatura). Além disso, tenho de fazer - sem falta! - análises ao sangue. É por estas e por outras que aqui o estaminé vai andar a meio-gás por mais uma semanita. Ficam só este post e a música nova, para não dizerem que já vos cheira a mofo.
Até já.

quarta-feira, 13 de julho de 2005

Vou ali e já venho


Vou balançar para a praia. Até um dia destes.

quinta-feira, 7 de julho de 2005

Londres ameaçada

Londres teve hoje um amanhecer violento, com várias explosões a lançar o pânico na cidade, a partir das 8h50 (hora avançada pela BBC). Fontes árabes não têm grandes dúvidas em atribuir à Al-Qaeda as responsabilidades pelos acontecimentos.
A generalidade das estações de televisão fala de seis explosões na capital britânica, mas a CNN descreve e localiza sete - seis no metro (Edgware Road, King's Cross, Liverpool Street, Russel Square, Aldgate East e Moorgate) e uma sétima num autocarro de dois andares em Tavistock Place, perto de Russel Square. No entanto, informações mais recentes apontam para que tenham sido três os autocarros atingidos pelas explosões.


As imagens mostram bem o grau de destruição do autocarro.
A princípio, pensava-se que a explosão de Aldgate, a primeira desta manhã, pudesse ter sido causada por um curto-circuito no sistema do metropolitano, mas à medida que outros rebentamentos se verificavam, a hipótese foi praticamente descartada. O metropolitano londrino encontra-se, neste momento, completamente parado, à semelhança do que acontece com os autocarros, pelo que não é difícil imaginar que em Londres se viva um dia de tremenda confusão e insegurança.


Duas horas medeiam primeira e segunda imagens, mostrando como a entrada da estação de Aldgate rapidamente ficou desimpedida.
Ainda não existem dados oficiais sobre as vítimas destas explosões - que se supõem de origem terrorista -, mas os números que vbão circulando apontam para dois mortos e 90 feridos em Aldgate e várias vítimas mortais na explosão do autocarro em Russel Square, falando-se de cerca de três dezenas de pessoas mortas.

PS - Não deixa de ser curioso observar a cobertura que as televisões vão fazendo deste caso. A BBC desdobra-se em contactos, ora com o comissário da polícia londrina, ora com vítimas, ora com responsáveis pelos transportes públicos, alternando as suas declarações com as intervenções dos seus jornalistas. Por cá, RTP, SIC e TVI sobrevivem à custa das imagens alheias, como é óbvio, mas todas parecem ficar uns furos aquém do que seria aceitável. Nos momentos em que tive oportunidade de ver, a TVI demorava-se na descrição dos feridos que iam passando, enquanto mostrava imagens de um homem que recebia massagem cardíaca; a SIC falava, por várias vezes, no nome da Al-Qaeda, passando a mensagem de que os fundamentalistas islâmicos tinham atacado de novo; a RTP adiantava que se tratava de terrorismo sem tecer mais considerações e pautava-se como o mais sóbrio dos três canais, caindo, contundo, num certo 'cinzentismo' e falta de ritmo que faziam mudar de canal em pouco tempo.

quarta-feira, 6 de julho de 2005

Steal my heart... and hold my tongue
I feel my time... my time has come
Let me in... unlock the door
I never felt this way before

And the wheels just keep on turning
The drummer begins to drum
I don't know which way I'm going
I don't know which way I've come

Hold my head... inside your hands
I need someone... who understands
I need someone... someone who hears
For you I've waited all these years

For you I'd wait... 'Til Kingdom Come
Until my day... my day is done
and say you'll come... and set me free
just say you'll wait... you'll wait for me

In your tears... and in your blood
In your fire... and in your flood
I hear you laugh... I heard you sing
I wouldn't change a single thing

And the wheels just keep on turning
The drummers begin to drum
I don't know which way I'm going
I don't know what I've become

For you I'd wait... 'Til kingdom come
Until my days... my days are done
Say you'll come... and set me free
Just say you'll wait... you'll wait for me

Just say you'll wait... you'll wait for me
Just say you'll wait... you'll wait for me

sábado, 25 de junho de 2005

Lugares quotidianos

Aqui...

aqui...

e aqui.

quinta-feira, 23 de junho de 2005

Eu quero!!!!!


Estes dois vão estar ao vivo e a cores, na noite de 28 de Julho, no festival de Vilar de Mouros. E eu também!

terça-feira, 21 de junho de 2005

Há um ano...


... começavam os dois últimos dias.

quinta-feira, 9 de junho de 2005

Deep Silent Complete

In your creation heaven did decree
That in your arms sweet death should dwell.

Deep silent complete
Black velvet sea
The sirens are calling for me

Saved my soul thinking "this song is a lie"
Sand on the shore is so dry

Deep silent complete
Black velvet sea
Brave day sinking in endless night

The age will say "this poet lies"
Heaven never touched earthly face
The age will say "this night was ours"
Blessed with the deep
The silent the complete

Nightwish

terça-feira, 31 de maio de 2005

Foi em Maio de 2004

Fez este mês um ano que o :SW?: se mudou para este endereço, depois de ter andado pela Bragatel e Blogger Brasil. Agora, nada faz prever que volte a mudar nos tempos mais próximos, mas não prometo nada... é só aparecer algo um bocadinho melhor e as malas azem-se outra vez.
Daqui a dois meses e meio, nova data digna de destaque: dois anos de vida do :SW?:, a celebrar a 18 de Agosto (se bem me lembro).

segunda-feira, 30 de maio de 2005

A quatro horas e meia do fim


Quando sair daqui, hoje, às 19h30, faltará apenas um dia para que tudo termine. Um dia para estar feito. E dois exames para fechar tudo de vez.

terça-feira, 24 de maio de 2005

CAMPEÕES 2004/2005



E, ao fim de 11 anos, o Benfica volta a conquistar o título de campeão. As quinas voltam à manga esquerda da nossa camisola, seu lugar por excelência e de onde andaram perdidas por mais tempo que o habitual. Vê-se, até na crise, a nossa grandeza: bastaram-nos onze anos para reerguer o troféu máximo do futebol português, enquanto que nenhum dos outros "grandes" (e quão grandes podem ser, ao nosso lado?) esperou menos de 18 para fazê-lo.
O Benfica ganhou à Benfica. Sofrendo até ao fim. O golo de Simão parecia ser o princípio de grande festança, mas Éder fechou "a jaula" antes que o gigante se soltasse de vez. A ânsia cresceu, mas o resultado era bom. Intervalo e segunda parte. Roíam-se unhas, rezava-se. Simão, a fechar a época em total entrega, podia ter dado novo balão de oxigénio às hostes encarnadas logo no primeiro minuto do segundo tempo, mas Khadim, em dia de mostrar que não é grande só em centímetros, desviou para canto. Sofria-se a bom sofrer e o Porto marcava. Um golo do Boavista e a festa resvalaria imediatamente para tremenda desilusão colectiva. A defesa aguentava e o ataque insistia, mas não havia maneira de fazer o segundo. Até que, a dois minutos do fim, o estádio irrompe em delírio: golo da Académica. Já ninguém se calava e, se alguém restava sentado - como eu, em casa -, não mais se sentaria até ao fim do jogo. E que final! Pedro Henriques apitou e foi tempo de festa! Gritar CAMPEÕES como nunca antes, abraçar quem estava ao lado e sentir a emoção apertar e a cabeça rodopiar, como onze anos de frustração a esvaírem-se pelo ralo. Depois, abrir a varanda e, apenas com esboços das primeiras buzinadelas na rua, gritar outra vez, mais alto ainda, ecoando pelas ruas circundantes: CAMPEÕEEEEEEESSS!!!
Depois de arrumar a casa - por sinal, de um portista, mas que tem trazido grande sorte em jogos do Benfica -, hora de sair para a rua, tejadilho e vidros abertos, CD dos Diabos quase no máximo! O trânsito estava de loucos, era um coro de buzinas a dar som a um caleidoscópio de piscas e luzes de travões. Ninguém andava, todos cantavam, todos em festa pelo Benfica campeão. Não cheguei às Avenidas, mas encontrei um lugar a 20 metros delas. E o resto da noite fez-se a pé. Descer a Liberdade em cânticos repetidos até à exaustão, mas com um sorriso nos lábios e molas nos pés. Campeões, campeões, nós somos campeões!
A meio, uma mostra de revoltante mau-perder: um qualquer atrasado mental, num Grad Cherokee, entra na Avenida, junto ao Hotel Turismo, de pé no acelerador. Ao vê-lo, cheguei-me ao passeio e fiz-lhe sinais para ir com calma. Nem de propósito. Dez metros depois, o cabrão atropelava uma rapariga e nem do carro saiu para ver como ela estava. Voltei para trás, com vontade de apertar a garganta de alguém, mas o boi fugiu antes que as pessoas à volta se apercebessem do que se tinha passado. Felizmente, a rapariga levantou-se sem problemas e continuou o seu caminho. E eu também...
A festa no fundo da rua era menor que no início, por isso não houve dúvidas: subir outra vez! Asma? Qual asma?!? O Benfica é campeão! No cimo, mais cantoria, mais saltos, mais festa. E fome. O mata-bicho foi no McDonald's, de onde assisti a uma carga da PSP sobre um grupo de rapazes que estavam num jardim ali ao lado. Não sei o que tinham feito, mas o arraial de bastonada e a perseguição em louca correria pela Avenida Central pareceram-me exagerados. Estômago cheio, segunda dose de festa. No muro que ladeia a saida do túnel, mesmo em frente à Casa do Benfica, tempo para assistir e tirar fotografias. Escusado era o arremesso de petardos para junto das pessoas, que poderia ter magoado alguém. Apesar de a festa estar boa, não havia tanta gente na rua como eu esperava. Talvez a proximidade do Porto tenha levado muitos a ir comemorar para junto dos jogadores.
Antes de voltar a casa, tempo para dar uma volta pelas zonas mais calmas da cidade e arruinar o sossego do povo. Buzinar aqui e ali, junto a algumas casas em maior sossego, só para lembrar que o Benfica tinha voltado e a noite era vermelha, de paixão, de sangue e da águia.
Sofá, finalmente. As pernas já pediam. Longa se tornou a espera até às quatro, altura em que os jogadores chegaram à Luz. Não gostei da diferença abismal de recepção aos guarda-redes. Quim entrou primeiro, saudado com um simples aplauso, e Moreira, logo a seguir, foi recebido com estrondosa ovação. Isto pode dar para o torto... Já com todos em palco, aquilo que se esperava: invasão de campo, inevitável, previsível e, ao fim e ao cabo, natural. Não percebi o porquê do drama dos comentadores da televisão. A culpa, afinal, não e só da falta de civismo, mas também da segurança do recinto. Nada que, em minha opinião, tenha "acabado com a festa", como muitos disseram. Enfim, tudo visto, hora de recolher. Em casa, finalmente, tempo para pendurar a bandeira de Portugal sob o cachecol que esteve toda a semana na varanda, em jeito de confiante esperança no título que acabava de chegar. Cansado, deitado, tempo apenas para um pensamento:

Parabéns, rapazes. Parabéns e obrigado!

PS - acordei tarde, depois da festa, como é óbvio; depois de telefonar para o Porto a dizer que ia chegar atrasado, o chefe liga de volta a dizer que não preciso de ir... vantagens de ter um manda-chuva benfiquista!

quinta-feira, 19 de maio de 2005

Como?!?

Alguém veio aqui ter procurando por apatia no Yahoo!. Eu sei que o blog anda um bocado parado, quase morto, nos últimos tempos, mas que isso já ande a circular nos motores de busca parece-me um bocado exagerado... estou a ser vítima de linchamento bloguístico!

segunda-feira, 2 de maio de 2005

É meu

quarta-feira, 27 de abril de 2005

É oficial

Ainda não foi a última vez que o :SW?: mudou de cara...

terça-feira, 19 de abril de 2005

Provocações Magnolianas

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro querias ser?
Desculpem... duas coisas:

1º - Fahrenheit 451?! Mas que porra é o Fahrenheit 451 e porque raio é para aqui chamado?

2º - Ser um livro? E abdicar do direito a andar, ver, ouvir, tocar, comer (não só alimentos...), cheirar e jogar Xbox? Não me parece...

Já alguma vez ficaste apanhadinho(a) por uma personagem de ficção?
Sim. NrowS. (Desafio eventuais filósofos de ocasião a provar que ele existe)

Qual o último livro que compraste?
Para não dizerem que ando aqui a fugir com o rabo à seringa, até digo OS ÚLTIMOS que comprei desde o último Verão (também não são muitos):
- Manual de Infidelidade Para Jovens Pais
- A Rádio Não Acontece, Faz-se
- A Regra de Quatro
- O Códice Secreto
- Anjos e Demónios
- É Um Mundo Mágico (Calvin & Hobbes)

Qual o último livro que leste?
Anjos e Demónios, tal como a Magnólia.

Que livro estás a ler?
Morte em Plum Island, de Nelson DeMille

Que livros (cinco) levarias para uma ilha deserta?
Eu nunca iria para uma ilha deserta. Essa é a questão...

A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?
Ao senhor Luís Vaz de Camões, porque sempre tive curiosidade para saber mais acerca dos gostos literários do zarolho mais erudito do país; ao Shrek, que, como todos sabemos, é um ogre culto - lê imenso na casa de banho; e ao sr. Jorge Nuno Pinto da Costa, que há-de ter muito tempo para responder a esta treta quando for "refrescar as ideias"... Aliás, vou já tratar disso.

Antes que perguntem

Preto não é forçosamente sinal de luto. Neste caso, não é.

domingo, 3 de abril de 2005

Vazio


É o que fica depois da morte de João Paulo II. Ainda que muitos de nós não se sintam pessoalmente afectados pela morte do Papa - e eu, confesso, incluo-me nesse grupo -, não há como não dar a Karol Wojtyla o merecido crédito por 26 anos de um pontificado marcado por uma luta incessante pela paz, pela igualdade entre os Homens e pelas suas convicções, de um modo geral.
Ainda que possamos não concordar com os seus pontos de vista, há que respeitar Wojtyla por ter sido um exemplo de coragem e perseverança até ao final dos seus dias. Acima de tudo, João Paulo II ensinou-nos a não desistir e mostrou que o Mundo só tem a ganhar com pessoas da sua integridade moral.
Vão-se os anéis, ficam os dedos. Wojtyla morreu, mas o trono de S. Pedro espera apenas que se defina a identidade do seu novo ocupante. Creio, no entanto, que o imaginário colectivo se encarregará de manter viva a imagem de João Paulo II como líder da Igreja Católica Romana.
Por tudo isto, o :SW?: curva-se hoje perante a memória de um dos homens mais marcantes dos nossos tempos. Que descanse em paz.

segunda-feira, 28 de março de 2005

Dúvida existencial


Porque é que, nas escadas rolantes, o apoio das mãos nunca anda à mesma velocidade dos degraus?

sexta-feira, 11 de março de 2005

Já vejo comboios em todo o lado!



Eu saio de casa e pimba!, meto-me num comboio! Eu saio do comboio e, para não me armar em fino, tenho logo de me meter noutro - OK, tecnicamente é o metro, mas aquilo é um comboio com crise de identidade! Ao fim da tarde, a mesma coisa: metro, comboio.
Eu já não posso ouvir aquela treta da "próxima paragem... next stop" nem o "atenção senhores passageiros: para vossa segurança, pedimos o favor de não forçarem as portas". O pior de tudo é que este último, normalmente, nunca vem a propósito de nada! Eu bem olho à minha volta, à procura de um qualquer chavalo com a mochila entalada na porta e que, por não se conseguir soltar, tenha de vir do Porto até aqui a contar os postes de betão ("tão, tão" - se não conhecem a anedota, também não vou contá-la...). Mas nada! Nunca uma pobre alma ficou entalada naqueles bocados de lata para, ao menos, o pessoal ter com que se entreter durante a viagem.
Mas o mais grave de tudo é que, quando chego ao fim da semana, dou por mim a já quase saber de cor os horários dos alfas, intercidades, interurbanos, urbanos e comboios de mercadorias que passam em Campanhã entre as 19h50 e as 20h36! E a pensar: «mas afinal porque raio o comboio que vai para Penafiel tem o dobro do tamanho do que vem para Braga?!?».
Eu acredito piamente que este é o primeiro passo para o internamento numa clínica psiquiátrica. A seguir vem a fase de ir no comboio a dizer o nome da próxima estação - em voz alta e repetidamente -, com os olhos esbugalhados e a olhar para o infinito. Isso vai ser um bocado chato, até porque eu coro quando falo em público, mas pronto...

[Espaço dedicado a umas fotos ranhosas tiradas com o telemóvel na estação, mas que ficou em branco porque ainda não consegui passar as ditas cujas para o computador}

Esta semana está a ser particularmente fértil para esta paranóia que começa a instalar-se. Não vou passar um único dia sem sentar o meu real traseiro num comboio e temo que isso possa acelerar exponencialmente o processo de degradação mental que atravesso. Espero, pelo menos, que o facto de mudar de destino, no sábado, sirva de atenuante. Vou fazer uma visita à capital, pelo que é garantido que não vai haver destes posts chatos até à próxima segunda...
Vou visitar a minha avó - que, valentemente, aos 91 anos, está a recuperar de uma operação - e aproveito para ir "rezar" um bocadito à "Catedral". :) Pronto, OK, o trocadilho foi infeliz e com estas coisas não se brinca, mas já que estou por lá e estou, acho que não há mal nenhum em ir à bola. Até porque quero aproveitar os bilhetes de estudante enquanto duram - ou, pelo menos, enquanto eu duro como estudante...
Portanto sábado, aí estou eu no comboio das 7:25 da manhã, qual herói, prontinho a zarpar. E domingo? Domingo há mais comboio, há que voltar para cima que na segunda há estágio e tenho de ir no das 13h49 para o Porto.
Acho que, depois de Maio e antes de 2013, se me obrigarem a entrar num raio de um comboio, sou gajo para deitar alguém à linha! Isto leva um indivíduo à insanidade mental...



PS - E pensar que este era para ser um post sobre as quase 4000 visitas a este blog...

quarta-feira, 2 de março de 2005

Dia 1


Pois é, começou hoje, sem avisar, e vai prolongar-se por mais 91 dias. 91 dias de comboio, metro e muita paciência...
Hmmm, deixa cá ver quando é a próxima folga...

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2005

Vitórias eleitorais

Apesar de eu não gostar da Sábado, assumidamente - por questões que vão além de estilos e políticas editoriais -, não pude deixar de considerar interessante o ponto de vista do sociólogo Alberto Gonçalves, publicado na edição desta semana:

«Se, em obediência a uma delirante teoria, considerarmos a actividade política uma "missão", o regozijo do triunfo deverá reflectir o contentamento pelo ensejo de servir o semelhante. Infelizmente, esta visão altruísta reflecte também a arrogância de quem acha que o semelhante tem imensa sorte em ser tão bem servido.
A hipótese oposta passa por admitir que eles não festejam exactamente por nós. E aqui não custa imaginar que a pândega se deve à prosaica aquisição de poder, de prestígio pessoal ou, meramente, de emprego. Embora muito mais de acordo com a essência humana, a alternativa também não consola.
Ambas as alternativas deixam a amarga sensação de que apenas "eles" ganharam e que nós, nós todos, qualquer que tenha sido a orientação do voto, perdemos»
.

Pois...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2005

Fim-de-semana 4


Túnel nas muralhas, Valença. Posted by Hello

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2005

As eleições


Não sei se sabem - e, se não sabem, preparem-se para o choque - mas, de cada vez que vêm ao :SW?:, estão a entrar em território da Direita (politicamente falando).
Por isso, é sempre de bom tom fazer uma declaração de derrota, depois deos resultados de hoje. Acaba por ser algo esperado, que já se adivinhava há muito - o PSD parece ter perdido o rumo há largos meses. Há também que felicitar o PS pela primeira maioria absoluta da sua existência, bem como o Bloco, pela subida alcançada, e a CDU, por se ter mostrado um partido vivo, coisa que nunca aconteceu com Carvalhas. Isto é bom para a democracia, apesar de, como é bom de entender, não me agradar. Mas, enfim, uma vez uns, uma vez outros.
Pessoalmente, não vejo em Sócrates um bom líder. Posso estar enganado, posso não estar, mas não votaria nele mesmo que fosse candidato de direita. A maioria não pensa como eu e, por isso, resta-me aceitar a sua vontade. Muito bem, assim seja, mas não deixo de dizer que a complicada situação em que o país se encontra não tem no PS a sua resolução milagrosa (nem no PS nem em nenhum outro).
Vejamos, pois, os resultados práticos desta votação.