quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Alien

Hoje, ao passar por uma das ruas principais da minha cidade, dei conta de que já não o fazia há muito tempo. Não àquela hora, não a ver a cidade à luz do fim do dia - momento que, note-se, teima em chegar cada vez mais cedo, a abrir caminho para o Outono.
Fiquei realmente impressionado com a forma como, sem eu ter dado conta, um caminho que eu fazia tantas vezes deixou de ser parte do quotidiano de forma tão marcada. É também por isto que percebo que pertenço cada vez menos à minha cidade e que o meu lugar já não é aqui.
Por agora fico. Até quando?

domingo, 23 de agosto de 2009

Viagens flash

O conceito não é novo, mas também não será propriamente antigo. Não fui eu, sequer, quem o inventou, mas aderi a ele de imediato.
A ideia é simples: aproveitar as benesses que algumas companhias aéreas oferecem e, no espaço de um dia, ir visitar uma qualquer cidade europeia como se de um passeiozinho ali à rua do lado se tratasse.
Seremos uns 10, na minha primeira viagem-flash. É no final de Outubro. E é para aqui.



sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Ora... =(

E uma faringite manda um fim-de-semana pelo cano abaixo em dois tempos. Ao menos, que seja só isso.
(não sou eu. mas posso vir a ser)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Mais Alto

Boa semana a todos.
Ao som disto. Porque sim. =)



quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Não-post

Há coisas que acontecem por bem.
Há coisas que não acontecem pelo mesmo motivo. Mesmo que, naquele momento (naqueles dias, naquelas semanas) não estejamos a ver que sentido pode isso ter, a verdade é que, quando somos confrontados com as consequências que a nossa realidade podia ter sofrido, não podemos deixar de entender tudo à luz de uma verdade mais abrangente e deixar que aquilo que antes nos incomodava se reduza, agora, a apenas uma bem-oleada peça da engrenagem a que chamamos vida.
Não se trata aqui de descobrir a pólvora, mas sim de sentir que, pela primeira vez, aquilo que sou hoje poderia já não existir, nem de perto, nem de longe. É sempre a proximidade que nos choca.

Ou que nos ajuda. Porque, como disse, há coisas que acontecem por bem e que, de imediato, revelam o seu propósito. Hoje também, encurtou-se uma distância ilógica que se mantinha há meses e que me levou a colocar a noite em perspectiva e a perceber que aquilo que verdadeiramente importa não se mede com uma fita métrica. Mede-se com um sorriso. Um só, em particular. E ele está lá.
Tenho que agradecer, não à dona dele, mas a quem se deixou para segundo plano para que eu pudesse entender que só ele importa. Muito, muito Obrigado.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Do fim-de-semana

Isto.



E Mazurka. Quero mais. =)

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Andanças e viagens

Sexta-feira.
Fim-de-semana.
Devia ficar quietinho no meu espaço a descansar - afinal, ainda não estou dentro do ritmo de trabalho. Mas isto de o caminho se fazer a dois acaba por potenciar coisas destas. Amanhã, seis da tarde, saio da IBM e vou direitinho a Sul, onde me espera uma noite de Andanças e um sorriso do tamanho do Mundo. No sábado, já bem melhor acompanhado, volto para cima, só para chegar perto do Douro e fazer inversão de marcha para trocar de companheiros e (re)visitar a Viagem Medieval de Santa Maria da Feira. Espera-se que valha tanto a pena como no sábado passado (sim, vou repetir o programa, mas agora com um aniversário incluído).
E domingo... teremos sempre Braga! =)
Bom fim-de-semana, malta!

Será das horas?

Se calhar, ando a precisar de dormir mais. Desde segunda-feira que ando a sentir-me particularmente irritável (e irritado, também) quando deveria ser ao contrário. Era suposto estar numa daquelas fases em que tudo parece um mar de rosas, por força de todas as circunstâncias e mais algumas.
Acho que tenho um par de explicações para isto (e uma delas tem, de facto, a ver com horas de sono), mas detesto andar assim. Parece que não consigo manter a minha atenção naquilo que realmente importa - ela vai sempre bater ao que me incomoda. Bah...!