sexta-feira, 31 de dezembro de 2004

FELIZ ANO NOVO!



UM 2005 EM GRANDE PARA TODOS!
A gerência
:)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2004

Antes que me esqueça...



FELIZ NATAL!!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2004

Ladies and gentlemen:

it's back.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2004

Sessão dupla

Na última semana, vinguei-me do muito tempo que passei sem ir ao cinema. Primeiro, na segunda-feira:

O Tesouro

Gostei do filme, mas não pude deixar de notar alguns erros de raccord - por exemplo, quando a câmara do tesouro é aberta, quase no fim do filme, as tochas nas paredes surgem acesas sem que ninguém lhes toque, como que por milagre... Reconheço que é bem capaz de ser um filme fácil. Não obriga a pensar, o enredo não admite grandes mudanças e o desenrolar é, de forma geral, previsível. Para além disso, ver o filme depois de ler o Código Da Vinci e a Regra de Quatro deixa no ar uma forte sensação de um déjà vu híbrido. Duas horas de entretenimento, apesar de tudo isso.

Na sexta, foi a vez de um filme feito por cá.

Sorte Nula

Vou ser directo: já vi melhor. Não é que a história esteja mal imaginada. Pelo contrário, tem confusões e inflexões q.b. para despistar o mais atento dos espectadores - claro que também tem alguns pormenores a roçar a "barretada", mas desses prefiro nem falar. O problema é que o filme vive muito à custa da cultura "teen" de hoje - Rui Unas, Bruno Nogueira, Isabel Figueira, etc. - e, na minha opinião, o talento dramático de alguns deles deixa algo a desejar. Ainda assim, destaque para o actor principal, Hélder Mendes (desconhecia por completo), que tem um desempenho bastante aceitável - apesar de o seu personagem não ser capaz de dizer um raio dum palavrão, não sei porquê! Em suma, não achei o filme por aí além. Vê-se, mas não me parece que vá fazer parte da colecção de DVDs.

terça-feira, 14 de dezembro de 2004

Decepção

pessoal que nem no próprio jogo consegue seguir as regras...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2004

É HOJE, É HOJE!!!

...

O sonho dos meus amigos
É ter um GTI...

Clã

sábado, 4 de dezembro de 2004

Feriado Nacional, sff!

Ò xôr Presidente, já que anda numa de tomar decisões, não quer fazer do 3 de Dezembro feriado nacional? É que, neste mês, mais feriado, menos feriado, ninguém dava por nada e não é todos os dias que o Pinto da Costa é pronunciado arguido à tarde e o Porto leva na espinha à noite! Vá lá, xôr Presidente! Mostre a raça do leão, que a águia agradece!

domingo, 28 de novembro de 2004

Remember

Now you’re awake
Are you pleased with your pain?
I’m watching, smiling
With hatred comes hatred and your lips are tasting my coldest kiss

And I’d bet my life on this

You are crying for help, you try to reach out for my hand but I wont be there,
‘Cause I dont care and I’m leaving you to drown in tears

Recall your fears, now they become tears, remember I once needed you

Icon & The Black Roses

sexta-feira, 26 de novembro de 2004

Pergunta existencial


Para um kiwi, estar verde é bom ou mau sinal?

segunda-feira, 22 de novembro de 2004

Merece atenção:

Amigo, a semana que agora começa é de luta. Não de luta académica tradicional, de contestação contra as propinas ou contra a ineficácia da Acção Social. Esta luta é bem mais séria: é a luta pela liberdade de imprensa, que representa, tão só, a liberdade de expressão ao dispor de cada cidadão.
Por isso (e por muitas outras coisas), espero que todos estejamos presentes na manifestação da próxima quarta-feira. Espero que todos digam ao amigo para se juntar a nós. E que esse amigo diga ao amigo do amigo, e ao amigo do amigo do amigo.... Mas acima de tudo, espero que todos tenham consciência daquilo que aqui é posto em causa!
Não é a direcção do Académico que queremos defender; não é somente o Semanário "de todos nós" o motivo de todo este protesto; O verdadeiro motivo, pelo menos para mim, é a revolta que sinto por um grupo de estudantes, que se dizem dirigentes associativos, proceder tal qual um gabinete de censura, de opressão e de controlo de opiniões
Se têm dúvidas de que vale a pena lutar contra tudo isto, não tenham. Porque, sejam quais forem as consequências, é a consciência de cada um que ficará tranquila.
Abraço

Hélder Beja, Comunicação Social

PS - A manifestação é na próxima quarta, dia 24, às 15 horas. Ponto de encontro: Prometeu.

quinta-feira, 18 de novembro de 2004

Não!

Isto não podia ter acontecido...

quarta-feira, 17 de novembro de 2004

Não tenho 30, mas...

Em conversa com o irmão mais novo de um amigo, cheguei a uma triste conclusão.
A juventude de hoje, na faixa que vai até aos 20 anos, está perdida.
E está perdida porque não conhece os grandes valores que orientaram os
que hoje rondam os trinta.
O grande choque, entre outros nessa conversa, foi quando lhe falei no
Tom Sawyer.
"Quem?", perguntou ele. Quem?! Ele não sabe quem é o Tom Sawyer! Meu Deus...
Como é que ele consegue viver com ele mesmo? A própria música: "Tu que
andas sempre descalço, Tom Sawyer, junto ao rio a passear, Tom Sawyer,
mil amigos deixarás, aqui e além..." era para ele como o hino
senegalês cantado em mandarim.

Claro que depois dessa surpresa, ocorreu-me que provavelmente ele não
conhece outros ícones da juventude de outrora.
O D'Artacão, esse herói canídeo, que estava apaixonado por uma
caniche; Sebastien et le Soleil, combatendo os terríveis Olmecs;
Galáctica, que acalentava os sonhos dos jovens, com as suas naves
triangulares; O Automan, com o seu Lamborghini que dava curvas a
noventa graus; O mítico Homem da Atlântida, com o Patrick Duffy e as
suas membranas no meio dos dedos; A Super-Mulher, heroína que nos
prendia à televisão só para a ver mudar de roupa (era às voltas,
lembram-se?); O Barco do Amor, que apesar de agora reposto na Sic
Radical, não é a mesma coisa. Naquela altura era actual...

E para acabar a lista, a mais clássica de todas as séries, e que
marcou mais gente numa só geração: O Verão Azul. Ora bem, quem não
conhece o Verão Azul merece morrer. Quem não chorou com a morte do
velho Shanquete, não merece o ar que respira. Quem, meu Deus, não sabe
assobiar a música do genérico, não anda cá a fazer nada.

Depois há toda uma série de situações pelas quais estes jovens não
passaram, o que os torna fracos. Ele nunca subiu a uma árvore! E
pior, nunca caiu de uma. É um mole.
Ele não viveu a sua infância a sonhar que um dia ia ser duplo de cinema.
Ele não se transformava num super- herói quando brincava com os amigos.
Ele não fazia guerras de cartuchos, com os canudos que roubávamos nas
obras e que depois personalizávamos. Aliás, para ele é inconcebível
que se vá a uma obra.
Ele nunca roubou chocolates no Pingo-Doce.
O Bate-pé para ele é marcar o ritmo de uma canção.

Confesso, senti-me velho.

Esta juventude de hoje está a crescer à frente de um computador. Tudo
bem, por mim estão na boa, mas é que se houver uma situação de perigo
real, em que tenham de fugir de algum sítio ou de alguma catástrofe,
eles vão ficar à toa, à procura do comando da Playstation e a gritar
pela Lara Croft. Óbvio, nunca caíram quando eram mais novos. Nunca
fizeram feridas, nunca andaram a fazer corridas de bicicleta uns
contra os outros.
Hoje, se um miúdo cai, está pelo menos dois dias no hospital, a levar
pontos e a fazer exames a possíveis infecções, e depois está dois
meses em casa a fazer tratamento a uma doença que lhe descobriram por
ter caído. Doenças com nomes tipo "Moleculum infanticus", que não
existiam
antigamente.
No meu tempo, se um gajo dava um malho (muitas vezes chamado de
"terno"), nem via se havia sangue, e se houvesse, não era nada que um
bocado de terra espalhada por cima não estancasse.

Eu hoje já nem vejo as mães virem à rua buscar os putos pelas orelhas,
porque eles estavam a jogar à bola com os ténis novos. Um gajo na
altura aprendia a viver com o perigo. Havia uma hipótese real de se
entrar na droga, de se engravidar uma miúda com 14 anos, de apanharmos
tétano num prego enferrujado, de se ser raptado quando se apanhava
boleia para ir para a praia. E sabíamos viver com isso.

Não estamos cá?
Não somos até a geração que possivelmente atinge objectivos maiores
com menos idade?
E ainda nos chamavam geração "rasca"... Nós éramos mais a geração "à
rasca", isso sim.
Sempre à rasca de dinheiro, sempre à rasca para passar de ano, sempre
à rasca para entrar na universidade, sempre à rasca a ver se a
namorada estava grávida, sempre à rasca para tirar a carta, para o pai
emprestar o carro.

Agora não falta nada aos putos. Eu, para ter um mísero Spectrum 48K,
tive que pedir à família toda para se juntar e para servir de prenda
de anos e Natal, tudo junto.

Hoje, ele é Playstation, PC, telemóvel, portátil, Gameboy, tudo.
Claro, pede-se a um chavalo de 14 anos para dar uma volta de bicicleta
e ele pergunta onde é que se mete a moeda, ou quantos bytes de RAM tem
aquela versão da bicicleta.

Com tanta protecção que se quis dar à juventude de hoje, só se
conseguiu que 8 em cada dez putos sejam cromos.
Antes, só havia um cromo por turma. Era o tóto de óculos, que levava
porrada de todos, que não podia jogar à bola e que não tinha
namoradas. É certo que depois veio a ser líder de algum partido, ou
gerente de alguma empresa de computadores, mas não curtiu nada.
Hoje, se um puto é normal, ou seja, não tem óculos, nem aparelho nos
dentes, as miúdas andam atrás dele, anda de bicicleta e fica na rua
até às dez da noite, os outros são proibidos de se dar com ele.

Descaradamente plagiado a partir da obra de Nuno Markl.

terça-feira, 16 de novembro de 2004

Criancices...

E anormal é com o "A",
"A", "A", "A"!
Estúpido é com "E",
"E", "E", "E"!
Idiota é com o "I",
"I", "I", "I"!
O "U" depois do "O"
Faz o otáriO-U!

:D

terça-feira, 9 de novembro de 2004

À vista



Segundo os senhores do site de onde tirei isto, é já no dia 10 de Dezembro. Cá vou esperar... sentado, mas não muito! ;)

segunda-feira, 8 de novembro de 2004

Hoje apetece-me dizer isto:

Agora que estamos numa época em que tanto se discute quem manda em que órgão de comunicação e de que forma, agora que os cordelinhos que mexem a marioneta já não são fios de nylon mas, cada vez mais, cabos de aço, não será altura de sair das sombras e mostrar que orientações de interesses movem realmente cada jornal, cada rádio, cada televisão? Seria preferível saber que há interesses e de que forma funcionam do que comprar esses interesses pensando que se leva um produto isento. Por outras palavras, é melhor comprar gato sabendo que se compra gato, do que ser tomado por lorpa e comprar o famoso 'gato por lebre'.
Claro que também acredito que isto nunca acontecerá, pelo menos em Portugal, já que o peso de mais exemplares vendidos e audiências mais altas suplantará sempre o da transparência e do trabalho que, podendo não ser absolutamente imparcial, procura ser o melhor dentro das condicionantes que o regem. Também sei que muitos não concordarão comigo, mas prefiro as coisas às claras do que ver um país em que se fala à boca pequena dos interesses que se lêem e vêem todos os dias sem que alguém seja capaz de assumí-los claramente como seus! Grande rigor...

Coincidências??

1999/2000
9ª Jornada

FC Porto 3-0 Sporting (árbitro: António Costa)

Classificação:
Benfica - 20
Porto - 19
(...)
Sporting - 15

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

2004/2005
9ª Jornada

FC Porto 3-0 Sporting (árbitro: António Costa)

Classificação:
Benfica - 20
Porto - 19
(...)
Sporting - 14



Eu não quero acreditar em coincidências tão grandes... até porque, há cinco anos, o campeão foi... o Sporting!!! :s

sábado, 23 de outubro de 2004

NrowS (a fingir que sabe ler)

Este...



... comprei e estou a ler, antes que seja moda.


Este...



... pedi emprestado e vou ler só no fim do outro, para ter a certeza de que já não é moda.


Brevemente... A Rádio Não Acontece, Faz-se, de Fernando Correia.

quinta-feira, 21 de outubro de 2004

Acabei de receber este telex:

Agência Lusa / Reuters
21 de Outubro de 2004


O jovem guarda-redes do FC Porto, Vítor Baía, o melhor do mundo
(excepto em Barcelona, onde não pode entrar sob o risco de ser
atingido por ovos podres, alusivos aos 436 golos sofridos
aquando da passagem pelo clube catalão), Vítor Baía, dizíamos,
vai apresentar uma exposição / protesto à FIFA, à UEFA e ao
Kentucky Fried Chicken. Com efeito, o guardião portista afirma-
se “absolutamente convencido” que nos lances dos dois golos do
Paris St Germain a bola “não terá transposto a linha de baliza”.
Socorrendo-se de imagens vídeo, Baía refere que “no primeiro
lance a bola aparentemente toca nas redes, mas se repararem bem
trata-se de uma ilusão de óptica. Já encomendei uma análise
rigorosa ao lance, semelhante a algumas que já correm na net,
provando inequivocamente que no jogo da Luz a bola não entrou. A
empresa que faz esses estudos de imagem é rigorosamente
imparcial (trata-se da Reinaldo Teles Associados), pelo que
aguardo serenamente a confirmação das minhas suspeitas. Quanto
ao 2º golo, mais uma vez sou vítima de uma tenebrosa cabala para
denegrir o meu nome: a bola está nitidamente em cima da linha
quando eu, com a agilidade reconhecida por todos (excepto em
Barcelona, não percebo bem porquê...), sacudi rapidamente o
esférico, impedindo claramente o golo. Aliás, uma outra empresa
idónea, a Madureira Super Dragões, SA, já se comprometeu a pôr a
circular na net estudos geométrico-electrónicos que provam a
minha ideia.”
Mais adiante, o muito jovem goal-keeper acrescentou:” Além
disso, eu sou uma personalidade muito importante, e em Portugal
já estou habituado a que protejam os meus frangos, tal como
aconteceu na Luz. Acho inaceitável que um árbitro de experiência
mundial como o careca do Collina tenha permitido aquele primeiro
golo dos franceses, marcado com o calcanhar daquela maneira
humilhante para o MAIOR do MUNDO (excepto em Barcelona,
estranhamente...).
Após ser interrogado quanto ao significado da derrota, Baía
finalizou:” Tal como respondeu o meu Presidente, Pinto da Costa,
quando lhe pediram para comentar o pénalti do Seitaridis e o
golo do Petit no jogo com o Benfica, e passo a citar: “O Veiga
tem os impostos em atraso e os bens penhorados”. Portanto, se
quer um comentário a esta derrota, dir-lhe-ei que o Luis F.
Vieira pagou um frigorífico às prestações em 1976 e demorou 3
meses a saldar o último pagamento, enquanto que o roupeiro dos
juvenis do Benfica está uma semana atrasado no pagamento do
condomínio, essa é que é essa”, concluiu determinado o bastante
jovem guarda-redes.

Pra tripeiro ver...



E as de ontem, não entraram?

Já agora, parabéns ao Baía, que conseguiu a proeza de dar um perú quase tão grande como o da Luz (1º golo)!

segunda-feira, 18 de outubro de 2004

Serviço público

A Carolina "Vaca" Salgado tinha ontem um cartaz que dizia "antes morta que vermelha". Alguém quer fazer o favor à senhora? Um pedido desses é irrecusável!

Digam agora que não foi!


 
E a lei que diz que se favorece o ataque, em caso de dúvida?Posted by Hello

domingo, 17 de outubro de 2004

Em solidariedade com o Jack...

vamp
You are Form 9, Vampire: The Undying.

"And The Vampire was all that remained on
the blood drowned creation. She attempted to
regrow life from the dead. But as she was
about to give the breath of life, she was
consumed in the flame of The Phoenix and the
cycle began again."


Some examples of the Vampire Form are Hades (Greek)
and Isis (Egyptian).
The Vampire is associated with the concept of
death, the number 9, and the element of fire.
Her sign is the eclipsed moon.

As a member of Form 9, you are a very realistic
individual. You may be a little idealistic,
but you are very grounded and down to earth.
You realize that not everything lasts, but you
savor every minute of the good times. While
you may sometimes find yourself lonely, you
have strong ties with people that will never be
broken.

Which Mythological Form Are You?
brought to you by Quizilla

sábado, 16 de outubro de 2004

FIFA 2005


O mais recente título da série FIFA, actualizada anualmente pela Electronic Arts, já chegou às lojas portuguesas. Se os 50 euros que custa a versão para PC já não seriam meigos para muitas bolsas, que dizer dos insultuosos 67 a que foi lançada a versão para Xbox?! Eu tenho apenas uma palavra: HMV!
A verdade é que chegamos ao ridículo de haver, em Portugal, jogos para consolas estupidamente mais caros do que em Inglaterra, onde o poder de compra será cerca de três vezes superior ao nacional. Essa diferença é tão grande que descobri, há alguns dias, que posso encomendar o jogo pela internet à já referida loja britânica, dar-me ao luxo de pagar £3.8 de portes de correio (cerca de €5,7) e, ainda assim, receber o jogo em casa por um total de menos €10 do que se o tivesse comprado por cá!
Problema, problema, vai ser convencer a minha mãe a deixar-me usar o número do cartão dela... :p

sexta-feira, 15 de outubro de 2004

Roses, Glitter and Metal


Vale a pena uma visita mas, principalmente, vale a pena ouvir! Música com um toque escandinavo feita aqui mesmo em Portugal. E há que admitir que o álbum é muito bom, independentemente das semelhanças com o som dos HIM.
Leva o selo de qualidade ":SW?:"! :)

(Se eu, ao menos, descobrisse porque é que não consigo pôr música de fundo...)

quinta-feira, 7 de outubro de 2004

Estou viciado!

We're all living in Amerika,
Amerika ist wunderbar.
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.

Wenn getanzt wird, will ich führen,
auch wenn ihr euch alleine dreht,
lasst euch ein wenig kontrollieren,
Ich zeige euch wie´s richtig geht.
Wir bilden einen lieben Reigen,
die Freiheit spielt auf allen Geigen,
Musik kommt aus dem Weißen Haus,
Und vor Paris steht Mickey Maus.

We're all living in Amerika,
Amerika ist wunderbar.
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.

Ich kenne Schritte, die sehr nützen,
und werde euch vor Fehltritt schützen,
und wer nich tanzen will am Schluss,
weiß noch nicht das er Tanzen muss!
Wir bilden einen lieben Reigen,
ich werde Euch die Richtung zeigen,
nach Afrika kommt Santa Claus,
und vor Paris steht Mickey Maus.

We're all living in Amerika,
Amerika ist wunderbar.
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.
We're all living in Amerika,
Coca-Cola, Wonderbra,
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.

This is not a love song,
this is not a love song.
I don´t sing my mother tongue,
No, this is not a love song.

We're all living in Amerika,
Amerika ist wunderbar.
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.
We're all living in Amerika,
Coca-Cola, sometimes WAR,
We're all living in Amerika,
Amerika, Amerika.

Amerika
Rammstein
Reise Reise, 2004

Não percebem puto de alemão? Nem eu! Vejam aqui.

sábado, 25 de setembro de 2004

Facto!

Eu estou vivo!
Não se preocupem... ou não festejem... whatever!

segunda-feira, 20 de setembro de 2004

Variar

Hoje acordei cedo, tomei o pequeno almoço a tempo, apanhei o autocarro a horas, fui à UM e às aulas a que tinha de ir, voltei para casa de autocarro, dormi depois do almoço e acabei por ir lanchar com a minha afilhada.
Há muito tempo que não me sentia "estudante"... foi bom, para variar.

What goes around, comes around

João Baião diz, na Sábado desta semana, que «na televisão reina a ordinarice barata». Curioso, ser logo ele a levantar esse problema...

sexta-feira, 17 de setembro de 2004

O Mister é que sabe


Trappatoni resolveu, no último fim-de-semana, tirar o Zahovic e meter o Paulo Almeida. Foi assobiado. Mas a equipa ganhou consistência e acabou por matar o jogo.
Hoje apresentou uma equipa mexida, com Karadas, Zahovic e Dos Santos no banco, fazendo regressar Fyssas e Sokota, e com dois avançados no centro, com destque para o regresso de Nuno Gomes, apoiados por dois alas.
Desta forma, o Benfica actuou num 4-4-2 ou 4-1-3-2, com Petit à frente da defesa e Manuel Fernandes mais à frente. O que é certo é que, se a qualidade do ftebol se manteve algo duvidosa, com jogadas mastigadas e demasiadas bolas perdidas, o Benfica ganhou sem margem de dúvidas, resolvendo praticamente a eliminatória "ao intervalo".
Trappatoni mostra, assim, que sabe mexer numa equipa e manter a produtividade, promovendo uma rotatividade que é de vital importância em épocas sobrecarregadas como têm sido as últimas.
Por isso, agora, antes de julgar uma titularidade ou substituição, espero para ver os resultados práticos, mesmo que, a priori, a minha opinião não seja a mesma. É que eu sei o que sei, mas 25 anos de experiência hão-de contar para alguma coisa...

Two down, six to go


Dois exames em Setembro, duas cadeiras feitas. Mas deixe-me dizer-lhe, D. Zara Coelho, que:

- andar um gajo a estudar uma semana inteira para uma das cadeiras mais asquerosas que há
- ter pelo menos 75% da matéria na ponta da língua
- estar uma hora à sua espera no dia do exame só porque vossa excelência pensava que o exame era de tarde e se deixou ficar na cama, isto depois de o referido gajo só ter dormido três horas nessa mesma noite
- escrever como se não houvesse amanhã no dito exame - relembro que só para a primeira resposta foram três páginas!

e chegar ao fim e ser corrido com uma merda de um 11, É UMA FILHA-DA-PUTICE MAIOR QUE O ESTÁDIO DA LUZ!
(e, já agora, que aqui ninguém nos ouve, acho que a direcção do departamento de ciências da comunicação não é para o seu dente...)

Já ao prof. de Mentalidades, cujo nome não me ocorre, queria apenas dizer que lá por eu não ir às aulas e por ele ter feito promessa de que corrigia os exames à pressa de um dia para o outro, não era preciso dar-me um mísero 12, já que eu até expliquei muito bem a porra do republicanismo e as paneleirices do Teixeira de Pascoaes.
Obrigado.

terça-feira, 14 de setembro de 2004


Estou só a testar o Hello... Posted by Hello

terça-feira, 7 de setembro de 2004

Anexo ao post "Grécia - República Checa"

Já vos tinha dito que lá fui. Agora provo-o.

Aviso à Navegação (pt. 47 ou 48)

Cherbe o prejente pra fajer chaber a bochelênchias que abriu um fotobelógue nuobo. Maichinforma que o mesmo fica lincado aqui ao lado, para cumudidade de bochlênchias. Ubrigadinhos, chim?

Recomendado


I, Robot - de Alex Proyas, com Will Smith e Bridget Moynahan.

Uma brilhante história de Isaac Asimov, que aborda o clássico conflito racial numa perspetiva futurista, onde a questão não se vai colocar entre humanos, mas entre Homem e máquinas. É também um interessante ensaio sobre as ideologias e as formas como os grupos dominados podem passar a dominantes.
Ou, menos filosoficamente, é diversão garantida durante duas horas. Para ver sem intervalos.

quinta-feira, 26 de agosto de 2004

FUUUUJAAAAAM!!!

Vem aí TAD (dia 3)...



(Eu vou estar debaixo da cama, mas não digam a ninguém)

terça-feira, 17 de agosto de 2004

NrowS (Away)


quinta-feira, 5 de agosto de 2004

Depois da Póvoa,

uns dias na Apúlia não são de deitar fora. Vou aproveitar, antes que venham os exames de Setembro (cala-te boca!). Até já.

terça-feira, 3 de agosto de 2004

I'm not an addict!

6.25 %

My weblog owns 6.25 % of me.
Does your weblog own you?

domingo, 1 de agosto de 2004

Hoje...

... vou fazer algo que já não faço há muito. Hoje vou ao futebol em Braga.

Voltei!

Para infernizar as vossa vidas! :D

segunda-feira, 19 de julho de 2004

Aparente apatia

Poderão alguns de vós, poucos ou muitos, perguntar o que se passa no :SW?: que, para além da acesa disputa entre toschmeichel e Magnolia pela razão na questão Pauleta, nenhum outro sinal de vida apresenta.

Pois bem, é que o dono do tasco está de férias na outrora conhecida por Villa Euracini, não podendo regalar-vos com os belos contos e romances (???) que aqui periodicamente se publicam... Na verdade, poder até pode, já que a biblioteca de praia até tem acesso à net. A preguiça e... hmmm... a preguiça é que trata(m) do resto.
Por isso, gozem estas linhas até não poderem mais e, por essa altura, talvez eu já esteja de volta. Se não estiver, snifem cola. O efeito é parecido.

terça-feira, 6 de julho de 2004

Post politicamente incorrecto

Foda-se, Scolari!!
Ontem, dia 4, havia mais de 10 milhões a torcer por Portugal. Eram os portugueses que vivem cá, os que vivem no estrangeiro, os amigos dos que vivem no estrangeiro, os estrangeiros que não são amigos de ninguém mas que queriam que Portugal ganhasse. Tanta gente! E, desses todos, foste o único NABO que não entendeu que o Pauleta estava bem era no banco...
Vou mais longe: desses todos, foste o único nabo que não entendeu que, no mesmo banco, a fazer comapnhia ao Pauleta, ficava bem o Deco. Porque se viu claramente, depois da segunda parte do Portugal-Inglaterra, que as pernas não davam para mais, a cabeça já não funcionava e os pulmões já não chegavam. O benefício da dúvida, no jogo com a Holanda, era mais do que justificado. Mas também aí se percebeu que os sintomas do jogo anterior prognosticavam cansaço irrecuperável.
O Rui Costa ficou no banco tanto tempo... porquê? O último jogo da carreira "internacional" do homem e, conhecendo o Rui Costa, quem poderia dizer que ele não ia dar tudo por tudo, correr como um doido, rematar como um desalmado e lutar até à vitória? Como fez, aliás, quando entrou...
O Pauleta nem devia ter voltado à equipa depois do jogo com a Inglaterra. O Nuno Gomes pode não ter marcado, nesse jogo, mas correu quilómetros, fez pela vida e incomodou a defesa. E quando o Postiga entrou para o apoiar, meu Deus!, como os ingleses se borraram todos. Não marcou, mas procurou. Quis repetir o que fizera contra a Espanha. Mas isso, Scolari, não deve ter sido suficiente, porque o astro, o goleador-mor, o grande Pauleta lá voltou no jogo com a Holanda, pronto a mostrar que nem só o Alentejo sofre de secas. E que o Nuno Gomes não tenha justificado assim tanto a titularidade pelo que fez no Euro, ainda queria perceber o que terá feito o Pauleta para se livrar do banco.
Ontem foi a mesma história. O raio do açoriano - que nem o hino canta - andou a arrastar-se 75 minutos. Uma hora e um quarto que Kapsis e Dellas tiveram para ir à praia e tomar uns cafés. Depois, quando decides mexer no ataque... puta que te pariu! Resolves-te, finalmente, a tirar o Pauleta e a merda continuou a mesma, porque um contra dois continua a ser um contra dois! Era dois contra dois o que ali devia haver, raios!! Quem não vê isso? Mas era Gomes e Postiga; só que, para isso, tinhas de pôr o Nuno de início, conceito que te deve ultrapassar largamente, estando o Pauleta disponível. Um conselho: quando a ideia é ganhar, há que jogar ao ataque, para marcar golos, e com avançados - dois ou três! Pergunta ao Mourinho...
Continuo na onda da cacetada - aviso já, para quem não estiver a gostar. É certo que o Figo foi dos melhores portugueses em todo o torneio e correu que se matou. Mas diz-me cá, ò treinadorzeco, DESDE QUANDO É QUE ELE É EXTREMO A TEMPO INTEIRO?!? E, já agora, o que estava o Simão a fazer no banco quando precisávamos de dois alas rápidos? Uma coisa que não me entra na cabeça é ver o Cristiano Ronaldo fazer grande época pelo lado direito e o Simão outro tanto pelo lado esquerdo e chegar ao Euro e ter um no banco e outro sem lado definido. Boa stratégie, monsieur Scolarí!
Para acabar o desancanço, volto quatro anos atrás. A base da equipa era muito parecida com a de agora. Se não me engano, Figo, Rui Costa, Costinha, Couto, Nuno Gomes, Pauleta, Rui Jorge, Petit, Beto e Quim são os elementos da convocatória de 2004 que estiveram no Europeu de 2000. Colocá-los a jogar ou não é opção técnica. O que é certo é que uma fatia importante dos "23" manteve-se. Na altura, Humberto era o seleccionador e Portugal chegou à meia-final, sendo eliminado da forma que todos recordamos. Este ano, a jogar em casa, Scolari leva Portugal à final e perde contra o improvável adversário que o tinha já derrotado no primeiro jogo.
Um português e um brasileiro, uma equipa que jogava tanto quanto queria e uma equipa que foi jogando um bocadito melhor que as outras - com a devida ressalva para o jogo com a Inglaterra. Um treinador que ganha 35.000 por mês e um outro que... vá, francamente, alguém acredita que ele ganhasse o mesmo? Por isso Scolari, muito obrigado pelo segundo lugar, mas nós queríamos o primeiro. E não soubeste, de forma alguma, dar a volta a uma equipa que quis jogar à defesa e jogou à defesa sem ser incomodada. Obrigado, Scolari, mas como tu temos cá muitos. Sem dúvida nenhuma.

sexta-feira, 2 de julho de 2004

Grécia - República Checa

O que fariam se acordassem às duas da tarde, num qualquer dia de verão, com a notícia de que havia dois bilhetes à vossa espera para a meia-final de um Europeu de futebol?
Provavelmente, o mesmo que eu: vestiam-se a correr, comiam mais depressa ainda e metiam-se no comboio para o Porto para chegar a tempo de levantar os bilhetes.
A história do voluntariado acabou por dar um lucro extra, já que estes dois bilhetes não estavam nas contas iniciais. É óbvio que um bilhete para a final era a recompensa mais desejada, mas entre os de ontem e nada, a questão nem se põe.
A verdade maior, caros leitores, é que nunca pensei dizer com satisfação, algum dia, que fui ao Porto e estive no Estádio do Dragão. O que é certo é que fui, estive lá, vi o jogo (fraquito, mas a cavalo dado...), vi o prolongamento e ainda deu para apanhar o último comboio para Braga.

quinta-feira, 1 de julho de 2004

Portugal e a Europa

Numa altura em que temos os Campeões Europeus de clubes, podemos vir a ter os Campeões Europeus de selecções e um português é nomeado para Presidente da Comissão Europeia, parece-me que Portugal está a assumir um ascendente sobre a Europa que não se pode gabar de ter tido muitas vezes.
Não seria altura de deixarmos de criticar tudo e mais alguma coisa e passarmos a olhar para o lado positivo das situações?

Alcançar o inalcançável

Agora acredito. Agora quero!
Mais do que o que qualquer comentário pode dizer, as imagens contam tudo. Foi assim, foram eles, por nós e para nós. Venha domingo, venha a Luz, venha a Glória.







sábado, 26 de junho de 2004

Os Heróis


See you later, lads!


segunda-feira, 21 de junho de 2004

ADIOS!!

sábado, 19 de junho de 2004

Santa preguiça

Sábado... Junho... porque raio tenho de estudar? Arte, ainda por cima... para segunda-feira. Não me apetece.

segunda-feira, 14 de junho de 2004

Mea Culpa

Não votei. O meu cartão de eleitor insistiu em não aparecer e não tive tempo para procurar. Já não posso ser Presidente.

quinta-feira, 10 de junho de 2004

Está quase, está quase...


Por estas bandas, faltam 33 horas para o início da aventura chamada Euro. Depois disso, serão 5 dias de trabalho consecutivos, que acabam apenas na terça-feira. Vai ser cansativo, tanto mais que terei de fazer cerca de 40 quilómetros todos os dias, para ir a Guimarães e voltar. Se, a estes 5 dias, juntar o muito que tenho de estudar no intervalo dos jogos, os dois dias destinados ao segundo jogo e aquilo que tenho de estudar depois disso, acho que só volto a ter sossego no dia 28... vamos a isso, então!

Avistado...


... hoje, algures em Braga.

Só para saber...

Alguém ouve mesmo a música do blog? :p :)

sábado, 5 de junho de 2004

Eu bem queria...




... mas não vou poder ir vê-los. Euro e €uro assim obrigam.
Há pouco passei pel' "A Dois" e estava a acabar um concerto destes senhores. Ainda fui a tempo de ouvir "Bliss" do princípio ao fim e garanto que foi algo de extraordinário. Fica a vontade...

segunda-feira, 31 de maio de 2004

Live @ Rock In Rio



Grande, grande concerto. É tudo o que me apetece dizer sobre a passagem de Amy Lee pelo palco principal do Rock In Rio. Na minha opinião, a actuação teve o ponto alto com o início de Imaginary, um dos melhores temas do conjunto norte-americano. Momento de puro 'dark rock', potenciado pela força das duas guitarras em palco. Soberbo.
Por seu lado, e como seria de esperar, a já mais-que-muito batida balada My Immortal levou o público ao rubro, mas não me entusiasmou por aí além. Ouvir esta canção repetida exaustivamente na RFM, Comercial e Top Mais acabou por vulgarizá-la. No entanto, foi essa mesma insistência que conferiu aos Evanescence uma popularidade notável em Portugal, a qual terá tanto de grandeza como de equívoco. É que My Immortal é um tema quase único no álbum Fallen, acompanhado, apenas, por Hello, que se enquadra no mesmo registo. Tudo o resto são sonoridades mais escuras e pesadas, que não costumam ser bem recebidas pelo grande público nacional. Isto apesar de, na minha perspectiva, o disco estar recheado de óptimas canções, como a já referida Imaginary, Haunted e My Last Breath. Ainda assim, é My Immortal que coloca os Evanescence no topo. Prova disso é que este foi o único tema audivelmente acompanhado pelos milhares de fãs presentes.
Finalmente, obrigado à Sic Radical pela transmissão na íntegra de todo o festival, o que me permitiu ver o concerto sem sair do sofá. Não é o mesmo que estar lá, mas é melhor que nada.

Mais um


Capturado hoje, na Blockbuster da Rua Cidade do Porto.

quinta-feira, 27 de maio de 2004

New Blog

Para aliviar um pouco o :SW?: dos inúmeros posts de futebol, criei este.

Já está!

A reportagem final de Jornalismo está feita. Agora vou dar-me ao luxo de fazer uma segunda versão...

O caso Ricardo Rocha

Aparentemente, levantou-se tanta poeira para nada. Afinal, o jogador sempre esteve bem inscrito, apesar de o contrato ter sido assinado antes da data para tal estipulada. O Record diz o segunite:
"Mesmo tendo assinado contrato com o Benfica antes de 01 de Abril de 2002 - a data regulamentar -, o central pôde alinhar pelo clube da Luz em 2002/03, porque, segundo o artigo 117º do Regulamento Disciplinar, um jogador só sofre sanção desportiva quando não haja consentimento para a transferência do clube ao qual está vinculado".
Ora, como Benfica e Sporting de Braga estiveram de acordo quanto à transferência - a qual, ao contrário da de Tiago, até só ocorreu efectivamente no final da época -, parece que não há problema de qualquer espécie. Resta saber porque é que quem levanta estas questões não é capaz de levar a investigação até ao fim e ver que, ao fim e ao cabo, o fumo não tinha fogo.

domingo, 23 de maio de 2004

"A Dois" surpreende

O segundo canal público transmitiu, na noite de sábado, um concerto dos HIM gravado em Berlim há quatro anos. HIM na televisão portuguesa? Concerto completo? Isto sim, é serviço público! :)

A Dois HIM

sábado, 22 de maio de 2004

Pensamentos passados II

"...I wanna be a little more than an 'also ran'..."

Pensamentos passados I

"... sometimes I feel as if I'm drunk behind the wheel of possibility..."

sexta-feira, 21 de maio de 2004

Nabo...

Júlio Magalhães, no último jornal da TVI:
"... a França e o Brasil disputaram hoje um encontro particular para assinalar o centenário da FIFA. Para que tudo estivesse de acordo com a ocasião, as equipas trajaram a rigor, com equipamentos dos anos 50"!

quinta-feira, 20 de maio de 2004

That's me!

Pois é, pois é...


... parece que houve alguém que sempre ficou de fora.

As nossas cores!